Feiras de patchwork e scrapbook apontam novidades do setor

separator
Compartilhar

O setor de artesanato como um todo já é a principal fonte de renda de muitas famílias brasileiras, movimentando R$ 50 bilhões ao ano. Os segmentos de patchwork e scrapbooking, técnicas artesanais baseadas em tecido e papel, respectivamente, mostraram um pouco dessa força econômica nos eventos Brazil Patchwork Show e Brazil Scrapbooking Show, que aconteceram simultaneamente, entre os dias 04 a 07 de março, em São Paulo. O evento trouxe tendências para artesãos e artistas, exposições, além de lançamentos de máquinas e ferramentas, novas técnicas e coleções exclusivas de tecidos.

Organizados pela WR São Paulo, os eventos receberam mais de 8 mil visitantes oferecendo mais de 100 cursos. “Foi uma surpresa o sucesso da retomada do Scrap nesta edição de 2020. Apoiamos o movimento ‘Juntas pelo Scrap’, que trouxe importantes pessoas do mercado, agregou novos expositores e inúmeros lançamentos de coleções de papéis exclusivos”, afirma Rita Mazotti, sócia da WR São Paulo.

Para Afonso Franco, da Afonso Franco Tecidos, artista e expositor, uma das principais tendências apresentadas no evento para o ano é o uso de ideias sustentáveis, com blocos de patchwork a partir de resíduos de tecidos. “O reaproveitamento de matéria primas é uma grande tendência no setor”, comenta. Já o artista Airton Spengler, da Airton Spengler Geometria Textil, trouxe a primeira coleção de tecidos exclusivos para patchwork no Brasil, chamada Fantasia. “A estampa não se perde independente do corte ser vertical ou horizontal. Tive a felicidade de vender todos os meus projetos antes de terminar a feira”, comemora.

O ateliê Eliane Castelan mostrou tendências internacionais, como a coleção do design americano de tecidos Kaffe Fasset, tecidos que remetem à culinária francesa e a temas de jardim, importados da França, e linhos da Dinamarca. “Mostrei também a aplicação de rendas de bilro, das rendeiras de Florianópolis, no patchwork. Nosso ticket médio foi muito mais alto do que no ano anterior”, diz.

O stand de Renata Blanco apresentou 40 novas estampas exclusivas em viscose e tricoline, ambas versões feitas de forma digital. A empreendedora Lu Ruzzi lançou duas coleções de papéis, além da novidade de linha de aviamentos e carimbos, e Isabel Amei, da Amei Bonecas, mostrou bonecos com pijamas, fadas e a boneca Lili.

Na área de máquinas de costura, a Brother lançou a BP 3600, que tem uma área de 24×36 cm e mais de 629 desenhos de bordados, com Wifi, além da Scancut SDX 225, que corta tanto papel quanto tecido, EVA e feltro, cujo diferencial é ter um scanner integrado. A empresa lançou ainda a Brother SQ91000DV, que facilita bordar palavras e frases pela configuração automatizada.