Conheça três grandes tendências de marketing digital para 2020

separator
Compartilhar

Por Alexandre Poseddon

O ano começou e os profissionais estão a todo vapor com suas estratégias de marketing digital para 2020. Mas para obter os melhores resultados em projetos próprios ou de clientes atendidos, é fundamental estar em sintonia com as tendências do mercado e compreender qual é o comportamento esperado do consumidor.

Fazem parte da cadeia de valor do conhecimento do profissional de marketing: conhecer profundamente as vantagens do marketing digital para cada modelo de negócio e público-alvo; entender como tirar proveito deste conhecimento para criar da melhor forma a oferta de seus produtos e serviços e o mais importante, oferecer resultado.

Seja na geração de leads, melhora nas taxas de conversão ou conquistando um melhor engajamento nas mídias sociais, o importante é saber que você precisa oferecer resultados e para isso, é necessário acompanhar muito bem os ciclos do mercado e adequar as estratégias de marketing para a realidade atual do mercado.

Para ajudar você nesse processo, falaremos sobre o que eu e diversos especialistas do mercado mundial apostamos serem as principais tendências no marketing digital para 2020.

1.   Podcast

Fonte: Canva

A produção de conteúdo via áudio não é nenhuma novidade desde antes da bíblia sagrada ser narrada na íntegra na voz do Cid Moreira. O mesmo podemos dizer dos Podcasts, que tiveram sua criação em meados dos anos 2000, mais precisamente em 2004 já com o nome de Podcast como conhecemos e, chegou ao seu ápice de interesse do público em abril de 2006, onde começou a sofrer uma queda constante de interesse dos usuários até por volta do final de 2013.

Desde então, o Podcast vem crescendo exponencialmente, chegando a quase triplicar o número de ouvintes no ano anterior, e graças a integração com diversos aplicativos como Deezer e Spotify e com aparelhos que vão do smartphone ao multimídia do carro, promete crescer ainda mais em 2020.

Se você produz conteúdo que seu cliente considera de valor para ele, porque não o disponibilizar em áudio? A ideia do Podcast é gerar valor para sua audiência, criar um canal que o evidencie no mercado para esse público ao qual ela possa se identificar ou sentir que você gerou valor para ele.

2.   Busca por voz

Sem dúvida um grande destaque para 2020 é o investimento de empresas como Google, Microsoft ou Apple em inteligência artificial com foco em melhorar a experiência nas buscas por voz.

Pode ser que você não tenha percebido mas, o uso de assistentes pessoais como a Siri da Apple, Cortana da Microsoft e Google Assistant, já são grandes protagonistas no mercado de buscas e estão presentes no seu smartphone, smartwatch, multimídia do carro, notebook e diversos outros dispositivos inteligentes, e podem em 2020 equivaler a 50% das buscas na internet, segundo relatório da ComScore.

Com precisão de 81% de compreensão, o assistente pessoal da Google encabeça a lista dos mais usados e precisos ao interpretar a solicitação do usuário. Sendo acionado normalmente pelo comando de voz “Ok, Google”, o assistente passa a processar a sua busca por voz, podendo ser uma busca do tipo: Como, O que, O Melhor, Onde, entre outras opções.

Uma busca do tipo “Como” pode indicar que o usuário busca por informação de Como fazer determinada atividade como assar um bolo por exemplo, já uma busca do tipo “O melhor”, pode ser usada ao se viajar para alguma cidade desconhecida e se quer saber onde encontrar o melhor restaurante da cidade.

Obviamente são apenas exemplos, mas é importante entender as intenções do usuário pois, parte de como o algoritmo dos motores de busca funcionam partem de qual o objetivo do cliente ao usar determinadas palavras-chave.

Mas afinal, o que isso muda para nós especialistas em marketing digital? Na prática, devemos criar conteúdos direcionados à intenção do usuário e despender um tempo para ações de marketing em aplicativos como Apple Maps, Waze e Google Maps que podem ampliar a sua disponibilidade com seu público.

3.   Marketing emocional

Imagem: Freepik

Tenho certeza que você já deve ter efetuado alguma compra, motivado pelas suas emoções ou que tem preferência pela marca XYZ pelo posicionamento dela em determinado assunto.

Esse conjunto de ações do consumidor, que podem ser desde motivação por compra, criar engajamento com seu público ou ainda, estabelecer a marca para determinado segmento, todas estas ações estão diretamente ligadas à motivação por estímulos emocionais que a empresa passa pra você através de sua campanha, esse é o marketing emocional.

Este tipo de marketing não é novidade no mercado, grandes empresas como a Cola Cola, Ferrari, Apple e tantas outras criam suas peças publicitárias sempre pensando em como estimular as emoções certas no seu público-alvo, e em tempos de marketing digital não poderia ser diferente.

Já alguns anos, vemos muitos profissionais de marketing falarem sobre “gatilhos mentais”, que são basicamente parte de um estudo mais complexo com objetivo de provocar no consumidor emoções que motivem compra.

Por exemplo, quando o vendedor de um curso online diz “abriremos inscrição do curso por apenas 7 dias e são apenas 40 vagas”, muito provavelmente ele está usando um gatilho mental de escassez ao tentar dizer que são poucos dias pra se inscrever e as vagas são limitadas, esse gatilho mental provoca a sensação de medo e aumenta as chances de uma compra por impulso.

Além disso, com a proliferação do uso de gatilhos mentais nas campanhas de marketing seja através do conteúdo de um e-mail marketing, do título de um anúncio de links patrocinados ou na descrição da sua landing page, o apelo para a emoção tende a se tornar mais comum nas estratégias de marketing digital focada exclusivamente para vendas, e aqui falo com maior ênfase nas estratégias para e-commerce.

E como o marketing emocional será aplicado no e-commerce em 2020?

Muitas lojas virtuais terão uma boa parte da verba e tempo investidos em marketing sendo direcionados à busca visual de produtos com um enfoque no apelo emocional utilizando para isto, a psicologia das cores e estruturando suas campanhas de marketing por etapa do funil, ressaltando o apelo às emoções a serem despertadas para cada nova etapa que o consumidor atingir.

Um bom exemplo disto é o marketing emocional usado pela empresa Empiricus. Quem não lembra em 2019 da polêmica envolvendo a jovem Betina e seus milhões acumulados? Basicamente, a empresa quis com esta propaganda incitar a emoção de desejo através da ganancia. É conhecido que ganancia e medo são duas das principais emoções a gerarem resposta rápida de vendas, dando aquela sensação de “preciso fechar isso logo pra ganhar mais” ou “vou comprar essa ação agora antes que o preço suba ou que todos comprem”. No caso da Empiricus, eles impactaram seu público-alvo com uma campanha baseada em medo na etapa de atração do funil e na sequencia despertaram a ganancia para uma etapa de meio a fundo de funil (engajamento e conversão).

Em resumo, essas são ao meu ver as principais apostas de tendência para o marketing digital em 2020. E você? Comente qual o que você acredita que terá maior destaque entre as ações de marketing para este ano.

Alexandre Poseddon é especialista em estratégias de marketing digital e e-commerce. É Head de Estratégia da Agência Vixus e oferece mentoria e treinamento para profissionais e agências de marketing.