Chega ao Brasil o primeiro "techno sport" do mundo

separator
Compartilhar

Está chegando ao Brasil, oficialmente, o primeiro techno sport do mundo, o HADO, uma mistura de atividade esportiva do mundo real com jogo virtual, em que os jogadores praticam atividade física de verdade ao mesmo tempo em que jogam no mundo digital.

Na partida, os jogadores usam um dispositivo de realidade aumentada (RA) na cabeça e sensores de movimentos nos pulsos. Sem controles nas mãos ou cabos, ficam livres para se movimentarem no ambiente real enquanto interagem com os itens digitais.

Quem está trazendo a novidade ao Brasil é a Trianons, uma empresa focada em startups e inovação tecnológica, e representante exclusiva do HADO no país. Na noite desta quarta-feira, a empresa realiza, em São Paulo, um evento exclusivo para apresentar o empreendimento a formadores de opinião e possíveis investidores no mercado brasileiro. A expectativa da Trianons é que o Brasil tenha pelo menos 13 arenas em atividade ainda esse ano.

A experiência nascida no Japão é nova, mas tem avançado a passos largos por combinar uma série de benefícios, conquistando desde entusiastas dos games e esportes a investidores interessados em liderar um negócio no ramo. Com mais de 600 mil usuários no mundo,  há pelo menos 60 arenas em dez países.

Criado pela japonesa Meleap e batizado de techno sport, o HADO, como sistema operacional, permite muitas modalidades de jogos e inaugura uma nova categoria que passeia entre o esporte físico e o eletrônico.

Negócio

Com investimento de R$ 500 mil, Juliano Kimura, fundador da Trianons, negociou com a Meleap os direitos exclusivos de uso da marca e da tecnologia no Brasil. “O investimento é relativamente alto, mas não é exatamente uma aposta, é um projeto que temos certeza que vai crescer. O mundo inteiro estava esperando esse momento, em que passamos a praticar exercícios ao mesmo tempo em que nos beneficiamos do entretenimento e da tecnologia. O público brasileiro tem um potencial enorme e estamos abertos a negociar arenas em qualquer cidade do país”, explica o empresário. “Hoje, temos negociações avançadas com uma das maiores redes de shoppings e também um dos maiores eventos de tecnologia brasileiros”, completa.

Esporte

A chegada da RA ao esporte promete mudanças irreversíveis. É possível pensar, por exemplo, no HADO Monster Battle como um jogo de queimada futurista, onde os times ocupam cada um uma metade da quadra e têm o objetivo de atingir os jogadores do time adversário. O que muda é que a bola é substituída por esferas de energia e tiros a laser, e a “bolada” pode ser defendida, por exemplo, com escudos e barreiras virtuais. Mesmo com todas as “pirotecnias” que tornam os jogos altamente imersivos, os jogadores ainda precisam correr, pular, agachar e colaborar com a equipe, mantendo assim benefícios que são essenciais para a saúde.

 Vídeo: Divulgação